A IGREJA COMO ORGANISMO E ORGANIZAÇÃO

A Igreja como organismo e organização e suas distinções que nem sempre são tão claras. Aliás, estas duas dimensões, a espiritual (organismo) e a institucional (organização) caminham lado a lado e, às vezes, até se misturam

Pois bem, por NÃO sabermos separar/distinguir o ORGANISMO da ORGANIZAÇÃO, é que vemos o uso da palavra “IGREJA” por toda a parte, mas seu significado é muito diferente.

Algumas pessoas usam “IGREJA” para descrever um belo edifício, outras a usam para descrever uma organização religiosa, mas a IGREJA como ORGANISMO é muito mais do que tudo isto, ela NÃO é um edifício construído com blocos e cimento, mas construída com pedras vivas (I Pe 2:4-8).

Muitos cristãos estão dentro da IGREJA sem ao menos saberem como e o porque dela ter sido constituída.

É comum ouvirmos de alguns esta afirmação: “Foi Cristo quem instituiu a Igreja!”. Sem dúvida foi Ele mesmo o idealizador. Mas, saber isto é suficiente?

Você já se perguntou…

Qual é a origem da Igreja e sua missão/propósito?

Por que e para que nós precisamos dela?

De que maneira ela pode vir a se tornar uma benção em nossa vida?

Diante de tantas organizações espalhadas por este mundo, não seria inteligente saber algo a mais?

Você já observou que certas organizações vivem, como se não existisse mais nenhuma outra organização no mundo? ou seja, só ela é a certa, as demais estão todas errada..?

Você já se perguntou até que ponto, a denominação/organização que você faz parte, está dentro do plano bíblico da IGREJA como ORGANISMO?

Muitos tem a noção errada de que a IGREJA é uma ORGANIZAÇÃO, ou seja, uma instituição independente do povo que a compõe. Este NÃO é o CONCEITO BÍBLICO de IGREJA.

Será que todas as organizações religiosas existentes vivem de acordo com a Palavra de Deus?

Para que possamos entender qual a natureza da IGREJA DE CRISTO, precisamos conhecer o seu FUNDAMENTO e PROPÓSITO.

O SENHOR JESUS NÃO MORREU PARA COMPRAR TERRAS OU EDIFÍCIOS, NEM PARA ESTABELECER ALGUMA INSTITUIÇÃO RELIGIOSA.

Ele morreu para COMPRAR por meio do seu SANGUE, homens e mulheres que estão condenados pelo PRIMEIRO DECRETO, ou seja, estão mortos e inimigos de Deus (Ez 18:20; Rm 5:12; Tg 4:4), mas que através da encarnação do Verbo (Jo 1:1,14), o SEGUNDO DECRETO, hoje temos o direito há salvação eterna em Cristo Jesus (Rm 5:8; I Co 6:19-20).

PRIMEIRO DECRETO = MORTE (Leitura obrigatória: Ester 3:8-15; Gn 3:13,14,17), tipologicamente decretada pelo Rei Assuero simboliza as primeiras maldições que alcançou o homem em Gênesis 3, por causa da sua transgressão/pecado veio a MORTE sobre todos os homens (Rm 5:12).

SEGUNDO DECRETO = VIDA (Leitura obrigatória: Ester 8:8-16; Jo 1:1,14; 3:16), que é a Palavra de Deus, que NÃO invalida o primeiro decreto, mas dá ao homem a oportunidade de se livrar das maldições através de JESUS CRISTO.

Jesus é o SEGUNDO DECRETO de Deus para o homem, hoje este decreto se espalha no mundo pela pregação do Evangelho, e eu e você somos enviados do Rei a divulgá-lo.

O PRIMEIRO DECRETO instala a MORTE sem defesa para o povo de Ester. Mas o SEGUNDO DECRETO dar o direito de defesa, direito a vida.

O Verbo falado, vivido e escrito é o novo decreto, ou seja, o EVANGELHO (boas novas) que temos que viver e anuncia-lo para todo o mundo.

A nossa pregação só é Palavra se o Espírito estiver soprando.

Do contrário, é só prega-ação, ou seja, não é a Palavra, é apenas um estudo bíblico, podendo gerar mais doença que libertação.

A grande tentação é fazer a Escritura se passar pela Palavra. Cuidado, muito cuidado! Vigia crente!

As Escrituras se iluminam como a Palavra, somente quando aquele que a busca tem como motivação o encontro com a Palavra de Deus. Ou, então, quando o Deus da Palavra fala antes ao coração.

Então por toda a sua vida, nunca mas se esqueça disso:
A BÍBLIA é o LIVRO. 
A ESCRITURA é o TEXTO.
A PALAVRA é o VERBO ENCARNADO, ou seja, JESUS.

Todavia, o Evangelho/Palavra é Espírito e Vida (Jo 14:6), e, portanto, Suas palavras são Espírito e Vida, pois carregam o poder da Verdade Absoluta e produz vida onde quer que chegue, é por isso que ela não volta vazia (Is 55:10-11).

Para melhor entender, suponha que os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, não estivessem sido escritos. Decerto, sabemos que ainda assim, haveria um Evangelho/Palavra a ser anunciado até os confins da Terra como Boas Novas de salvação, porque o Evangelho é Espírito e Vida=JESUS, e não um livro.

Assim, as Escrituras é só uma forma de expressar-se acerca da Essência da Palavra que é Cristo. De modo algum se está dizendo aqui que só Jesus interessa na Bíblia, mas, por outro lado, nada interessa senão a partir Dele e nada é Palavra de Deus se não for compatível com Ele (Cl 1:15-23).

Deve-se ler a Bíblia tendo sempre como seu objetivo principal revelar Cristo.

A IGREJA da qual CRISTO é o CABEÇA (Cl 1:18), se acha espalhada por TODOS os LUGARES e em TODOS os TEMPOS.

Deste modo a IGREJA DE CRISTO é UMA SÓ, VISÍVEL e UNIVERSAL, porque o Senhor da IGREJA é UM SÓ, Jesus Cristo.

A IGREJA de Cristo NÃO é uma organização material, formal, social, que implica em condicionamento humano e decididamente restrito a uma localidade e normas, Ela é o CORPO VIVO DE CRISTO, cujo o cabeça é Ele próprio.

“Ora vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular” (I Co 12:27).

“… e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da IGREJA, que é o seu CORPO, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos” (Ef 1:22,23).

“…todo o CORPO, provido e organizado pelas juntas e ligaduras vai crescendo em aumento de Deus” (Cl 2:19).

“Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo” (I Pe 2:5).

Estas pedras vivas são chamadas santos e são membros da família de Deus, veja:

“Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo Ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; na qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” (Ef 2:19-22).

A IGREJA não é nenhum tipo de instituição ou objeto impessoal, ela é um corpo constituído de componentes vivos.

Como um ORGANISMO VIVO, a IGREJA pode sentir MEDO (At 5:11), pode ORAR (At 12:5) e pode FALAR (Mt 18:17).

Pessoas que são chamadas para saírem da escravidão do pecado para serem santificadas por Cristo (Jo 17:14-23; Cl 1:13; I Pe 2:9; I Jo 4:5-6).

Aqueles que são convertidos verdadeiramente a Cristo são chamados SANTOS (I Co 1:2; Cl 1:1-2).

DEFINIÇÃO DE ECLÉSIA
A palavra “IGREJA” é a tradução de uma palavra grega eclésia (ekklesia) que ocorre 115 vezes no Novo Testamento, cujo significado básico é “assembleia”, “congregação”, “ajuntamento ou reunião de pessoas”.

Eclésia (ekklesia) é derivada da preposição ek, “que indica origem (o ponto de onde uma ação ou movimento procede)”, e kaleo, que quer dizer “chamado, convocado”.

Significando, portanto, “chamados para fora”, ou “separados”, indicando um grupo de pessoas que estão reunidas porque foram convocadas, porque alguém os chamou para aquela reunião.

Eclésia (ekklesia) era a principal assembleia popular da democracia ateniense na Grécia antiga, criada por Sólon em 594 a.C.

Era uma assembleia popular, aberta a todos os cidadãos homens LIVRES com mais de dezoito anos, abrindo suas portas para todos os cidadãos para que se nomeassem ou votassem acerca de legislação, guerra e outros.

No século V a.C., havia cerca de quarenta mil participantes, que a princípio se encontravam uma vez por mês, mas tarde passou a encontrar-se uma vez por semana.

Deve ficar claro em nossa mente que a Bíblia trata IGREJA como ORGANISMO e nunca como ORGANIZAÇÃO que só veio a existir legalmente depois do segundo século.

Desta forma vemos que IGREJA como ORGANISMO não tem endereço, nem imóveis, mas é cheia de pessoas lavadas e remidas pelo sangue do cordeiro, que vivem uma realidade ímpar neste mundo.

A IGREJA COMO ORGANISMO E ORGANIZAÇÃO
A IGREJA é ao mesmo tempo um ORGANISMO VIVO e ao mesmo tempo uma ESTRUTURA MATERIAL, ou seja, uma organização, que trata de questões espirituais e materiais.

A dimensão da IGREJA como ORGANISMO diz respeito à sua razão de ser, enquanto a IGREJA como ORGANIZAÇÃO diz respeito à estrutura que permite que ela como organismo seja o que deve ser.

Nem sempre estas distinções são tão claras. Aliás, estas duas dimensões, a espiritual (organismo) e a institucional (organização) caminham lado a lado e, às vezes, até se misturam

No aspecto de ORGANISMO, a IGREJA É ESPIRITUAL, e dessa forma é que lhe dá condição de relacionar-se com o Deus – Criador, porém, como ORGANIZAÇÃO HUMANA lhe dá condição de manter relações com os governos, instituições e o meio social em que localiza-se, como denominação, com as seguintes características e composições formais:

– É uma entidade social, devidamente constituída sob a forma legal e com finalidade eminentemente filantrópica e assistencial.

– Possui um sistema organizacional – administrativo, sujeita às leis e autoridades humanas, no que diz respeito a sua finalidade.

– É visível e regulada por estatuto social, regimento interno, código de ética e normas disciplinares.

Entender o conceito bíblico de IGREJA como ORGANISMO, ou seja, um corpo de pessoas, ajuda-nos a apreciar a riqueza da descrição de Paulo quando fala sobre a “IGREJA DE DEUS, A QUAL ELE COMPROU COM O SEU PRÓPRIO SANGUE” (At 20:28).

3 (TRÊS) PRINCÍPIOS DEVEM BALIZAR AS NOSSAS AÇÕES COMO ORGANIZAÇÃO

a) A ORGANIZAÇÃO deve contribuir para o cumprimento de nossa missão como ORGANISMO*
O primeiro e mais importante princípio de organização é sempre desenvolver para a IGREJA, estruturas que nos ajudarão a atingir os objetivos do Novo Testamento: ADORAÇÃO, SERVIÇO e EVANGELIZAÇÃO. A organização não é um fim em si mesma, mas UM MEIO para realizarmos com excelência a obra do Senhor.

b) A ORGANIZAÇÃO deve manter-se SIMPLES*
Todos nós conhecemos os males da burocracia. Quando as pessoas passam a servir às estruturas. Há uma relação direta entre simplicidade e crescimento. Igrejas complexas em sua estrutura e processos perdem o ritmo de crescimento e, muitas vezes, decrescem.

c) A ORGANIZAÇÃO deve ser FLEXÍVEL*
O mundo é dinâmico e muitas vezes as nossas estruturas se tornam rígidas. Repensar as estruturas, flexibilizá-las, deve ser a nossa postura.

A IGREJA PRECISA FUNCIONAR COMO UM CORPO
Quando Paulo quer falar do funcionamento da igreja, ele faz uso de uma figura: o corpo humano. Ele usa esta figura mais de 30 vezes. Seu objetivo é enfatizar o elemento “vida” da igreja de Cristo:

a) Estamos ligados uns aos outros.
b) Precisamos uns dos outros.
c) Cada um tem uma contribuição a dar.
d) Devemos cuidar uns dos outros.
e) Alegremo-nos e sofremos uns com outros.

Enfim, a saúde do corpo, depende do funcionamento adequado de cada membro. Modelos gerenciais, ferramentas de planejamento, formulações estratégicas, tudo isto pode ser legitimamente utilizado, mas sem esquecermos que a igreja é, em sua essência, ORGANISMO, vivo de Cristo.

A IGREJA é uma COMUNIDADE, ou seja, COM+UNIDADE, é um LUGAR DE GENTE. 
GENTE que PRECISA de COMUNHÃO. 
GENTE que VIVE num MUNDO REAL com PROBLEMAS REAIS.

É particularmente esta a DIMENSÃO DA IGREJA que me empolga e na qual eu estamos empenhados em aprofundar-nos com o GCEM “Grupos de Comunhão, Evangelização e Multiplicação”..

Aliás, eu olho com desconfiança qualquer programa de crescimento NUMÉRICO que, em contrapartida, não proponha mecanismos de aprofundamento da COMUNHÃO.

Creio nas estratégias dos grupos familiares, nas organizações para as faixas etárias e nos programas e atividades que contribuem para o aprofundamento da comunhão.

PARA SERMOS EFICIENTES PRECISAMOS SER ORGANIZADOS. Mas, NÃO permitamos que a ORGANIZAÇÃO sufoque o nosso senso de ORGANISMO.

PELO CONTRÁRIO, que sejamos uma IGREJA onde as pessoas estejam ligadas umas as outros em amor ágape e este amor se manifeste por meio de uma profunda comunhão.

É particularmente esta DIMENSÃO de IGREJA,* que estou empolgado e na qual estou empenhado em me aprofundar.

“Que o SENHOR JESUS te ABENÇOE e te GUARDE, que o SENHOR JESUS faça RESPLANDECER o seu ROSTO em ti, e tenha MISERICÓRDIA de ti, que o SENHOR JESUS se LEVANTE ao teu FAVOR, e te dê a PAZ e a PROSPERIDADE” (Nm 6:24-26).

Seu irmão em Cristo, Pr. Francisco Miranda
Fundador, professor mestre do IBI “Instituto Bíblico Internacional” e Pastor auxiliar na AD Shalom, tendo como Pastores Presidentes: Pr. Hermes Vieira Netto e Prª Ezir Batista Vieira, 
em Palmas(TO)

 

Francisco Miranda
administrator
Teologia24horas é uma PLATAFORMA ONLINE de Desenvolvimento Pessoal, Profissional e Ministerial, onde o aluno tem acesso ao CONTEÚDO dos CURSOS do IBI (Instituto Bíblico Internacional), a onde estiver, a hora e quando quiser…